03.02.2011
Juliana de Paula

Há quem diga que Stephen King é um escritor oportunista, que escreve (escrevia, pois King anunciou sua aposentadoria, pra tristeza de milhares de fãs no mundo todo) com a única intenção de vender milhões de cópias. Também há quem o considere um gênio do terror, que consegue fazer com que qualquer um sinta ao menos um friozinho na espinha ao ler seus livros. Eu prefiro ficar com a segunda opinião.

Não considero King um excelente escritor - acho que nem ele mesmo se considera assim - mas não dá pra negar que ele é mestre na arte de colocar medo no leitor. Já li inúmeros de seus livros e devo admitir que quando os lia antes de dormir não tinha coragem de levantar da cama depois - sempre achava que alguma mão suspeita ia sair debaixo da cama e me pegar.

É bem verdade que isso não acontece com todos seus livros, alguns são verdadeiros clássicos do terror psicológico - como "O Iluminado" , "Rose Madder" , "Jogo Perigoso" , entre outros - mas King também desliza de vez em quando e nessas ocasiões escreve livros - não diria ruins - de menor qualidade; como "Desespero" e "O Apanhador de Sonhos".

(Curiosidade: no mesmo dia do lançamento de "Desespero", Stephen King colocou no mercado americano um livro chamado "Os Justiceiros" que tem como autor Richard Bachman - já conhecido pseudônimo de King - os dois livros contam histórias muito parecidas e o porque do autor ter feito esta experiência é difícil de explicar, uma vez que seus fãs sabem que Bachman e King são a mesma pessoa - diz-se que isso foi uma jogada de marketing de Stephen King).

De qualquer maneira, o cinema sempre esteve de olho nos livros de Stephen King e são muitos os títulos do autor que acabaram se tornando filmes - para quem gosta de números, cerca de 50 livros (ou contos) de King já foram levados a telona, em alguns anos chegou-se a produzir 4 filmes adaptados da obra do autor. Boa parte desses filmes foram um fracasso - como "As Vezes Eles Voltam" ,"Sonâmbulos", "Fenda no Tempo" e "Jovem Outra Vez" pra citar alguns. Em outras ocasiões mais inspiradas, os livros de King viraram grandes filmes.

Sua última grande adaptação foi 'O Nevoeiro', onde o astro se consagra novamente. O filme, com suspense do início ao fim, é uma das melhores adaptações do escritor para os cinemas. Mas antes de ler nossa crítica, separamos os 10 melhores filmes baseados em suas obras.

E fique ligado: King voltou com tudo: 'A Torre Negra', 'Cemitério Maldito' e 'A Dança da Morte' em breve ganharão novas adaptações nas telonas.

Nesta lista; as melhores adaptações de Stephen King - o mestre do terror.


1 - O ILUMINADO (diretor: Stanley Kubrick) - 1980

Stanley Kubrick era genial e seu "O Iluminado" não é apenas uma das melhores adaptações de Stephen King, é também um dos grandes filmes de terror do cinema. Inexplicavelmente, King não ficou satisfeito com essa adaptação (existe uma outra versão - muito inferior a essa primeira - de "O Iluminado" feita em 1997, não sei se com essa King ficou feliz).

Excepcional a interpretação de Jack Nicholson, que com sua cara de louco assusta qualquer um.

Kubrick fez um filme impecável, e quem já assistiu deve se lembrar do mórbido hotel (locação das mais geniais) no qual a família Torrance passa pelas mais horripilantes situações.

 

2 - CONTA COMIGO (diretor: Rob Reiner) - 1986

"Conta Comigo" é a adaptação de um conto de Stephen King chamado "O Corpo" (sem dúvida a melhor coisa que eu já li do escritor - "O Corpo" está no livro "As Quatro Estações").

Nesse conto, King abandona o terror e parte para um campo mais humano, eu diria. Uma obra sensível, terna e intimista, embalada por uma bela trilha sonora. King nunca esteve tão poético.

O filme conta a história de quatro amigos que partem em uma jornada em busca de um cadáver, e que acabam aprendendo valiosas lições sobre a amizade durante o caminho.

 

3 - LOUCA OBSESSÃO (diretor: Rob Reiner) - 1990

Baseado no conto "Angústia", "Louca Obsessão" é um filme perturbador. A atriz Kathy Bates foi indicada ao Oscar pela sua fantástica atuação no papel da psicopata que prende um escritor - de quem se diz fã número 1 - depois que ele sofre um acidente de carro.

Chocante o momento em que a personagem de Bates quebra os pés do escritor com uma pá.

 

4 - UM SONHO DE LIBERDADE (diretor: Frank Darabont) - 1994

Também adaptado de um conto (chamado "Rita Hayworth e The Shawshank Redemption" - o conto está no livro "As Quatro Estações") "Um Sonho de Liberdade" é um excelente drama.

Assim como "Conta Comigo" nem parece saído da obra de King. O filme conta a história de Andy Dufresne (Tim Robbins), um jovem banqueiro que é condenado a prisão pelo assassinato de sua esposa e seu amante.




5 - A ESPERA DE UM MILAGRE (diretor: Frank Darabont) - 1999

Belíssimo filme adaptado de uma série de livrinhos de bolso de King que são intitulados "O Corredor da Morte", depois da estreia - e sucesso - no cinema, os livrinhos foram editados como um único romance que leva o nome do filme.

Uma das mais felizes adaptações de King, "A Epera de um Milagre" retrata o cotidiano - e o relacionamento muito especial do policial Paul Edgecomb (Tom Hanks) como o condenado John Coffey (Michael Clark Duncan - perfeito para o papel) - no corredor da morte de uma prisão americana.

Filme fábula muito emocionante - destaque para a cena em que John Coffey assiste ao musical "O Picolino".


 

6 - IT - UMA OBRA PRIMA DO MEDO (diretor: Tom Holland) - 1995

Uma viagem à fria e oscura mente de King. Feito para a TV norte-americana, "IT" mostra uma pacata cidade que foi aterrorizada 30 anos atrás por um ser conhecido como "A Coisa". Suas vítimas eram crianças, sendo que se apresentava na maioria das vezes como o palhaço Pennywise.

Com esta forma ele reaparece, 30 anos depois. Sete jovens que viram "A Coisa" voltam para combatê-la. Porém esta batalha pode custar suas vidas.


 

7- FENDA NO TEMPO (diretor: Tom Holland) - 1995

Um dos melhores e mais bem produzidos suspenses de Ficção Ciêntifica do Cinema. O filme não fez muito sucesso e, como a maioria dos filmes baseados em seus livros, é bastante longo (2 fitas).

Ao acordarem 10 passageiros descobrem que estão sozinhos em um avião. Um deles, que é piloto, assume o comando do avião e a leva a um aeroporto, onde também não há sinal de vida.

A imaginação corre solta neste filme, que é bastante amedrontador e inovador.


8. CARRIE - A ESTRANHA (diretor: Brian de Palma) - 1976

Baseado no primeiro livro de Stephen King (curiosidade: King escreveu Carrie mas não gostou do resultado, portanto jogou tudo no lixo. Sua esposa pegou o manuscrito no lixo, leu e adorou. Foi ela quem fez King levar o livro até um editor que decidiu publicá-lo. O livro foi um enorme sucesso e alçou King da pobreza e obscuridade a riqueza e fama).

Dizer que essa é uma grande adaptação de King é uma coisa que eu não entendo. Ao contrário de boa parte do mundo, acho que a atuação de Sissy Spacek é péssima, na verdade chega a ser risível. Aquele olhão arregalado de Spacek não me diz nada.

O momento que deveria ser o ápice do filme - quando o sangue cai em cima de Carrie na formatura - é uma das piores seqüências que eu já vi na vida. Por essas e por outras, "Carrie" é uma das piores adaptações de King (o pior quanto a essa adaptação é o fato dela ser superestimada pela crítica e público).


9. CHRISTINE - O CARRO ASSASSINO (diretor: John Carpenter) - 1983

Trash, trash, trash. Diversão (ou susto) garantida. John Carpenter é conhecido por seus filmes de terror e em "Christine" ele mostra mais uma vez a que veio.

As seqüências em que Christine (um Plymouth Fury 58, que tem vida própria e cria uma relação de amor com o dono) acende seus faróis e persegue todos aqueles que "atrapalham" seu dono são absolutamente clássicas. Grande trilha sonora.

 

10. O APRENDIZ (diretor: Bryan Singer) - 1998

Baseado no conto "Apt Pupil" (conto do livro "As Quatro Estações") de Stephen King. "O Aprendiz" conta a história de um adolescente que desconfia que um de seus vizinhos é um criminoso nazista, a partir daí o adolescente passa a chantagear o vizinho para que ele lhe conte as mais terríveis histórias sobre a II Guerra Mundial. Firme a direção de Bryan Singer (o mesmo de "Os Suspeitos") e impecável a atuação da dupla central (Ian McKellen e Brad Renfro).


Nos últimos dois anos, as locadoras foram infestadas por filmes feitos para TV lançados em vídeo e baseados em obras de King. Entre eles 'Rose Red: A Casa Adormecida", "Mansão Marster" e "Kingdom Hospital".