Dicionário de Cama

(Sleeping Dictionary)

Elenco: Jessica Alba, Hugh Dancy , Bob Hoskins, Brenda Blenthyn , Emily Mortimer
Direção: ---
Gênero: Drama
Distribuidora: Playarte
Estreia: 10 de Outubro de 2003.

Sinopse: Quando a Inglaterra dominava o mundo, um jovem oficial inglês chamado John Truscott (HUGH DANCY), foi enviado a Sarawak, na Malásia, para participar da colonização e governo do novo território britânico, onde viviam os Ibans – uma tribo de costumes estranhos e tradições diferentes. O jovem John depara-se com sua primeira dificuldade – aprender a língua nativa. Como solução, a jovem Iban Selima (JESSICA ALBA) é oferecida para viver e dormir com ele, a fim de que aprenda a língua e os costumes do outro o mais rápido possível. Ocorre que o jovem apaixona-se pelo seu ‘dicionário de cama’ e acaba abrindo mão de sua missão, seu país e seu idioma para ficar com a mulher amada. Paralelamente, a jovem Cecil (EMILY MORTIMER) que é filha do governador do distrito de Sarawak, Henry Bullard (BOB HOSKINS) e sua esposa Aggie (BRENDA BLETHYN), ingleses de natureza, mas que vivem a 30 anos na colônia, apaixona-se por John.
O Caso de amor proibido entre John e Selima, porém, desperta a ira dos líderes de ambos os lados. Os conflitos gerados tomam proporções tão inesperadas que resultam numa guerra capaz de destruir as duas diferentes comunidades da nova colônia britânica.
No início do século 19, Sarawak era um típico principado da Malásia, controlado pelo sultão de Brunei. Afora eventual pirataria na costa e a prática que algumas tribos selvagens adotavam, de tirar as cabeças de seus inimigos como troféus, Sarawak era um local pacífico. O povo Iban constitui cerca de 30% da população de Sarawak. Hoje, são conhecidos por sua energia, personalidade extrovertida e senso de humor, e pela hospitalidade e generosidade com que recebem os turistas.
A pequena cidade Kuching que é capital de Sarawak, o maior estado da Malásia, foi escolhida como base da produção de “Dicionário de Cama”. Possui edifícios ingleses que lhe emprestam uma aparência sofisticada e ocidental em diversos locais. Há várias locações originais dos Ibans como as casas comunitárias construídas sobre palafitas, nas quais a tribo inteira vive em harmonia, segundo suas próprias regras.
Conforme o depoimento do diretor e roteirista Guy Jenkin, nenhum dos personagens foi baseado em pessoas reais, apesar de os ‘dicionários de cama’ existirem de fato e sua prática ser comum em todo o território britânico naquela época. Prova disso, foi um memorando famoso e secreto, em torno de 1910, que foi enviado as colônias da Inglaterra, dizendo da prática da vida ‘em estado conjugal’. Jenkin reuniu documentos e depoimentos de pessoas que trabalhavam nas colônias, uma espécie de história viva, daí surgiu como ponto de partida a história de “Dicionário de Cama”.

Crítica: Breve

Cartazes:
  
Fotos:
 
Anuncio