Donkey Xote

Sinopse: O burro Rucio conta a verdadeira história de Dom Quixote. O cavaleiro espanhol não seria um louco e sim um aventureiro querendo resgatar Dulcineia.

Só de olhar o cartaz de Donkey Xote é impossível não perceber a semelhança entre Rucio e o Burro (aquele que acompanha Shrek). Os dois personagens são assumidamente parecidos, como já é confessado logo na primeira cena. Esse possível plágio é utilizado como piada na divulgação do filme. No poster e no trailer estão a frase “Dos produtores que assistiram Shrek”. Considerando essa ideia, pode-se dizer que o Homem Nerd é um site desenvolvido “pela equipe que assistia a Trapalhões”...

A premissa dessa animação italo-espanhola, como se pode deduzir pelo título, é propor uma releitura do clássico Dom Quixote. Nessa empreitada, o roteiro acaba sem coesão com uma enxurrada de pequenas tramas e um turbilhão de personagens. No final, fica tudo meio perdido.

Outro erro que pode ser apontado é a seleção de canções para a trilha musical. É um consenso que aventuras de cavalarias merecem como trilha peças épicas, com uma orquestra respeitável. Os responsáveis por essa área foram infelizmente ousados e escolheram canções que em nada remetem ao conteúdo do enredo. Para mostrar um bom exemplo, uma versão de uma música originalmente interpretada por Celine Dion pode ser ouvida no meio de duelos de lanças!

Dois acertos podem ser apontados em Donkey Xote. Primeiro, a técnica em animação está muito bem realizada. Desde o desenvolvimento do visual dos personagens até a movimentação deles, tudo está impecável. Outro ponto positivo é a iniciativa de reler Dom Quixote (o primeiro cosplayer da História), que pode incentivar jovens leitores a recorrerem ao livro original


Nota:
Crítica por: Edu Fernandes
Site: www.homemnerd.com.br