42: A História de uma Lenda

1
    Nota7.5

    NÃO APENAS UM FILME DE ESPORTE

    Apesar do enorme sucesso que 42: A História de uma Lenda fez no começo desse ano nos Estados Unidos, a produção chega ao Brasil lançada direto no mercado de home vídeo. O fato deve se repetir na maioria dos países do mundo. Acontece que a obra fala sobre um assunto muito específico dos Estados Unidos, o esporte Baseball. Antes mesmo da Segunda Guerra Mundial, o esporte já estava consolidado como um item tão americano quanto qualquer outro. O baseball faz parte da cultura dos americanos tanto ou mais do que o futebol faz para os brasileiros.

    Justamente por isso, apesar de seus quase $100 milhões somente em território norte-americano, 42: A História de uma Lenda ganhou as prateleiras de locadoras e lojas ao invés das salas de cinema. A produção é algo como o sucesso nacional Heleno, com Rodrigo Santoro, foi para os brasileiros, a história biográfica de uma lenda do esporte.

    2

    Porém, indo mais a fundo, 42 ultrapassa os limites de ser apenas mais um filme de esporte, sendo uma história sobre sociedade e cultura, que levanta questões impregnadas na humanidade até hoje. O filme é a biografia do jogador Jackie Robinson, o primeiro esportista negro da história, a jogar num time inter-racial de primeira linha. Foi, em parte, por causa dele e de tudo o que envolveu sua escalação nos Brooklyn Dodgers, que vivemos nessa era de inclusão social. Durante os anos 1940, o executivo do time Branch Rickey (vivido pelo veterano Harrison Ford) desenvolve uma brilhante e ousada ideia.

    Incluir um jogador negro no time profissional, anteriormente jogado apenas por brancos. Vendo o futuro, e compreendendo o potencial do jogador e de uma raça inteira, Rickey já sabia na época que Robinson seria apenas o primeiro.  O filme apresenta todas as dificuldades enfrentadas por um ser humano, numa época difícil para humanidade. Obviamente o racismo e a discriminação ainda estão muito presentes em nossa sociedade, mas sem dúvidas é inegável que evoluímos bastante.

    3

    Escrito e dirigido por Brian Helgeland (roteirista de Robin Hood, 2010), 42 é eficiente e acima da média, um filme edificante que apresenta um tema importantíssimo para a história da humanidade, e a vida de um ser humano excepcional. Chadwick Boseman brilha como Robinson, e a bela Nicole Beharie (Shame) igualmente entrega um desempenho satisfatório como sua esposa Rachel. O elenco de apoio inclui Lucas Black, Alan Tudyk, John C. McGinley e Christopher Meloni. 42 é emocionante e precisa ser visto.

    Jackie Robinson foi escolhido para ser o precursor, e lhe foi pedido para aguentar, simplesmente aguentar o abuso infligido por fãs, rivais e inclusive companheiros de equipe. Sua vida e significado foram tão inspiradores que até hoje, num determinado dia do ano, todos os jogadores da liga americana de baseball usam o uniforme com o número 42, que ficou registrado pelo herói.

    Comente!